quinta-feira, maio 17, 2012

acho que vai ser sempre assim

para bruno sales
belo horizonte/ pôr-do sol 

deste ar frio que entra 
restam ciscos nos meus olhos
e o cabelo embaraçado de poeira do asfalto
a cidade está longe de mim
mesmo com o barulho dos carros e das sirenes enlouquecidas
mesmo com esse poente lindo e triste
o vento fuma o meu cigarro
os deuses estão perto dissolvidos na fumaça
quase acredito quase viro criança
invento coisas pra não pensar
 minha cabeça um mar imenso sem cais
você está na rua e não pode entrar
o sinal ainda está vermelho
e acho que vai ser sempre assim
a cidade está longe de mim
e eu muito mais


20 comentários:

Marcos Satoru Kawanami disse...

"o vento fuma o meu cigarro"

BAR DO BARDO disse...

a delicadeza de chumbo

se é que existe

bom texto é redundância

parabéns

beijo

Bruno Sales disse...

Dri, minha manhã se tornou mais interessante! Obrigado pela homenagem... Embora meu corpo envelheça, minha alma não: serei sempre uma criança na cidade, com a cabeça cheia de coisas para descansar o pensamento! Lindo, linda!

Patrícia Rangel (O Verbo-Beijo) disse...

Simplesmente!

Lara Amaral disse...

Poema com aquele ar que contempla o mundo do parapeito da janela, a vida a nos consumir, o vento a nos levar como fumaça.

Belíssimo, Dri!

Beijo.

guru martins disse...

...o inverno
é melancólico
querida...

bj

Assis Freitas disse...

quando você escreve me lembra aquela coisa do "delicado som do trovão",


beijo

Adriana Godoy disse...

Marcos, e fuma mesmo!! Bj

Adriana Godoy disse...

Bardo, valeu. Beijo

Adriana Godoy disse...

Bruno Toco, se fez sua manhã melhor já tá valendo. beijo

Adriana Godoy disse...

Patrícia, beijo.

Adriana Godoy disse...

Lara, lindas palavras. Brigada! Beijo

Adriana Godoy disse...

Guru, sempre o inverno me deixa assim. Beijo

Adriana Godoy disse...

Assis, não tinha pensado nissso. Gostei. Beijo

Mauro Lúcio de Paula disse...

Adriana,
a nossa cidade tem os próprios caminhos nem sempre anda por onde nós andamos. O que eu quero dizer é que ela tem luz própria. Vai ser sempre assim, sempre. Aprecie, curta e se possível sonhe, sonhe e sonhe mais. O seu poente e poema é muito mais lindo. Um abraço afetuoso!

Adriana Godoy disse...

Mauro, grata por seu comentário tão especial. beijo

Luciano Fraga disse...

Adriana querida, mais que um poema; uma canção, um devaneio, enquanto "o vento fuma meu cigarro", belo isso, beijo.

Adriana Godoy disse...

Luciano, fico feliz com suas palvras. Valeu demais. Beijo

Claudemir Resende da Silva disse...

"minha cabeça um mar imenso sem cais". Que bom que você existe pra escrever essas coisas.

Adriana Godoy disse...

Claudemir, que bom que gostou. Volte sempre. Bj